22 de maio de 2014

comer é preciso mas dá trabalho

Nunca me apetece fazer o almoço e o jantar. Nunca. Existem aquelas pessoas que vão para a casa a pensar fazer um prato todo XPTO, experimentar a salada nova que viram no facebook ou que começam a inventar receitas pelo caminho. São as pessoas que gostam de arregaçar as mangas depois de um longo dia e fazer refeições. 
Eu não sou uma dessas pessoas. Aliás, o que eu queria mesmo era ter uma assim cá em casa. Nos meus queridos vinte anos, apesar de morar sozinha, vou a casa ao fim de semana e trago algumas refeições feitas. Consigo estar dois ou três dias (em semanas recheadas) sem ter que cozinhar. Nos outros dias estou sempre a arrastar-me e sem saber o que fazer. Normalmente e depois de muito adiar acabo a fazer um bife grelhado com arroz ou um bife grelhado com massa. Em dias de mais inspiração faço carne na frigideira ou douradinhos no forno. 

Bolos. Bolos eu até acho divertido. Aquela coisa de fazer a massa e depois provar. Aquela coisa de ter uma sobremesa no fim... Isso sim! Isso eu até não me importo. Agora o resto dá cabo de mim. Os temperos, a quantidade de sal, a água na panela, o fogão que fica todo sujo. A minha falta de jeito e de vontade. 
Resumindo, nunca serei uma mulher jeitosa, que todos os dias serve o marido e os filhos com um manjar divinal. Na melhor das hipóteses mando comer um prato de sopa e massa com atum. Também nunca serei alguém que faz o jantar para os amigos. É para isso que existem lojas que vendem comida para fora. Tenho a certeza que ficarão melhor servidos.

ps: Agora estou a fazer pescada cozida com milho e ervilhas! Wooow.

Sem comentários:

Enviar um comentário